A primeira coisa é feliz 2018, lindas!

O blog está de cara nova e de nome novo: Preta.Rocks pra dizer que a gente manda na coisa toda, pode fazer o esporte que quiser e ainda falar de um bando de coisa enquanto isso. Espero que tenham gostado, parte do final do ano passado foi gasto fazendo esse espaço um pouco mais bonito, um pouco mais legível e mais animado.

A gente gosta de fazer esporte com roupa nova, também gosta de fazer blog bonito para dar aquela animada!

Sobre esse ano que se inicia, a inspiração e o mote vai ser “continuar apesar de tudo”. Lembro que no meio do ano passado, lá estava eu falando que estava preparando esse ano aqui. Pois bem, de tuuuuudo aquilo que imaginei ser possível, fiz absolutamente nada. Só para gente lembrar, os desejos eram:

  • Fazer um short ou olímpico antes dos 42 anos (2018)
  • Não ter episódios de purgação (vômitos provocados) por 6 meses, começando agora
  • Colocar os dedos das mãos nos dedos dos pés
  • Participar de uma travessia aquática
  • Comemorar o ano novo com 6 planilhas de treinamento entregues com amor e sangue nos olhos

PREPARANDO OS 50

Bacana, mas não deu certo por um motivo bem simples. O horizonte não me motivou de verdade. Algo que me faça pensar que vale a pena a dor, o tempo longe da família e até do sofá. Agora que estou no início dos 40, percebo como deixei de me preparar para essa fase da vida em alguns aspectos. Resultado? Dores articulares, descontrole dos transtornos alimentares.

Quero é ser como a Whoopi aos 50, 60, linda, feliz, com a pele radiante…

E o quanto valeu me preparar para outros. Finalmente o médico me liberou para exames oncológicos anuais e não estou fazendo terapia, desde que siga com o compromisso de tomar os remédios, coma bem e faça esporte. Tudo isso previne o câncer e também uma crise da bipolaridade. Então, seria sábio continuar fazendo o que dá certo.

Se antes o foco foi o câncer e a bipolaridade, nessa década a preocupação serão a pressão alta, a diabetes, o colesterol, as dores articulares. Preciso fazer da atividade física algo que realmente faz parte do meu cotidiano, não algo sazonal. Deixar de comer sal às toneladas seria algo muito importante porque a pressão tem subido com constância, apesar de ainda ser baixa.

A diabetes também será uma questão, porque meus pais estão enfrentando a doença. E para a gente não é que questão de “se”, mas de “quando”. Preciso dizer que nessa casa todas ama carboidratos simples como arroz branco. pão branco, macarrão branco se tiver =) Que a gente senta e come a melancia toda, porque sim. Essa é minha família, essa sou eu, não tem pra onde correr.

MAS… NENHUM DESAFIO?

Um dos segredos para pensar em longo prazo é nos permitir algumas recompensas… Decida algo muito maluco e maravilhoso que você gostaria de fazer. Não algo que você gostaria de comer (uma medida pensada para quem tem transtorno alimentar), não algo que você queira comprar (alguém já falou de compulsão por compras nesse blog?), não algo que você precisa fazer porque sua carreira, seus filhos, seu chefe ou o mundo diz para você fazer. No meu caso, é uma prova em 2019…

Assim que conseguir voltar para uma rotina saudável e factível de exercícios, vou traçar essa meta. Mas para além disso, quero chegar aos 50 anos sem dores no joelho, correndo, nadando, fazendo pelo menos um ironman por ano. Para isso, os desejos precisam ser mais sábios, pensando a longevidade, a boa vida e a diversão. Se fosse pra ter um plano seria não ter diabetes, não ter pressão alta… Sem dores no joelho! Tanta coisa…

UMA ROTINA DE EXERCÍCIOS RAZOÁVEL

Bem, essa semana será crucial. A verdade é que o corpo humano gosta da inércia. Se você está há meses no sofá como eu, seu corpo está acostumado e gosta de sofá. O bom é que, a partir do momento em que você faz exercícios regulares, o corpo (e a mente) se adaptam à sua rotina. Estou há semanas fugindo desse momento, mas vamos. Chegou a hora.

Acredite, caminhar é uma boa pedida. E para começar a correr, recomendo alternativas de baixo impacto.

Porque joelho a gente só tem dois e se acaba, já era.

E O PESO?

Sim, vou perder peso. Preciso. Porém não vou dizer aqui quanto. Não agrega. O que tem a ser dito é que emagreci muito e voltei a engordar um terço disso, o que está me dando dores horríveis no joelho e na coluna. Realmente não é algo que eu possa me dar ao luxo de dizer que está tudo bem, porque não está. Então sim, uma das minhas metas é emagrecer. Porém…

Sempre que estou num momento de emagrecimento, preciso ficar muito atenta para perceber se quero emagrecer, encarar a autogordofobia e descobrir se estou num período de descontrole do meu transtorno alimentar. Ou seja, entre emagrecer e ter hábitos alimentares saudáveis, sempre vou escolher a última opção. E isso por vezes quer dizer quilos a mais na balança. Não é bom pro joelho, não é bom pro esporte, mas é o certo a se fazer. Porque dor no joelho não mata, mas transtorno alimentar sim.

MAS POR ONDE EU COMEÇO?

Amiga, caminhe. Há algum tempo atrás, estava sem condicionamento e comecei andando. Se não der, tente uma bicicleta ou, como já disse antes, hidroginástica. Não tem muito segredo desde que você respeite seu limite. Não adianta andar meia hora no primeiro dia. Mas super vale a pena começar com 10 minutos, continuar e em um ano ter começado a correr, por exemplo!

Nessa hora, quando estamos começando e eu mesma estou recomeçando agora, a inspiração conta muito. Existem muitas mulheres fazendo coisas incríveis como metáfora para uma vida mais gostosa e prazerosa, porque sim, você merece isso. As Black Girls do Bike é um trabalho lindo! Ou ainda, visite essa maravilhosa lista de 25 profissionais pretas que estão no insta arrasando quando o assunto é vida e movimento.

E vamos que vamos, que não adianta por toda a prosa em dia em um ano.

Até o próximo post!