A gente deseja e os sonhos acontecem! Com a #Prova9deJulho foi assim.

Só que antes de falar das prova, quero trazer aqui meu pai e minha mãe. Gente pobre, cabloca, preta e como dizem (e discordo) sem instrução. Gente que fez de um tudo para que esse dia que é corriqueiro para alguns, fosse especial demais para gente. Gente que me deu todas as bicicletas que tive antes de virar a adulta, que me ensinou a pedalar (porque não queria que a filha fosse mais uma preta que não sabe). E que, com todo medo do mundo, me deixava rodar o bairro, livre.

Os dois estão exultantes e meu pai está vindo para minha casa, para poder ver a prova. Minha tia está me cobrando para comer menos carboidratos, mal sabe ela que está certíssima! Ando mesmo super aproveitando a vida agora que os treinos estão longos. Glicogênio é vida gente, não posso chegar no domingo sem ele. Essa coisa de rodar na cetose não está sendo para mim.

É minha filha falando que também “está fazendo esporte” com sua bike toda rosa! Se nada mais valesse a pena, só isso teria. Educar pela ação é muito mais fácil e prazeroso. E o esporte é ferramenta essencial nesse processo, a gente se reúne, bate um papo, se diverte. E estar com ela me motiva, me dá ideias mirabolantes para… Opa, deixa essa estória para lá por enquanto!

A tradicional #Prova9deJulho

Mas vamos voltar um pouquinho, você não sabe o que é a #Prova9deJulho? É uma prova de bike tradicional, realizada pela Gazeta Esportiva, com promoção da Cásper e organizada pela Federação Paulista de Ciclismo. Quando o flyer do evento caiu na minha mão, pensei – tá pra mim, são “apenas 28K”. O que não sabia ainda era que o trajeto havia mudado e a quilometragem também. Agora são 45K pelas ruas de São Paulo, o que pode ser muito bom…

A pegadinha é que todo trajeto tem de ser feito em 1h30 minutos, rsrsrs. Vamos pular essa parte por enquanto? Quero falar dos treinos, dos longos treinos que tenho feito. Primeiro que não são tão longos assim, o consultor que me passa as planilhas chega a rodas 110K nos treinos, ele e a sua esposa. Eu? Imagina, #tomorrenu com 60K.Falta condicionamento para fazer no tempo certo, estou com 20 minutos acima da marca. Só que o mais importante nem é isso.

Foi em primeiro lugar estar comigo mesmo por mais de duas horas. E como meu celular está quebrado, foi a seco mesmo. Não sabia cumprimentar a mim mesma, muito menos puxar uma conversinha sobre amenidades. Logo a coisa descambava para problemas sérios e naquele cenário isso era a pior coisa de acontecer. A gente quer apenas uma companhia agradável para tornar o treino divertido ou pelo menos suportável. E não estava dando certo. A gente tinha que pensar no motivo de estarmos ali e que faria tudo valer a pena, a #Prova9deJulho <3

Se a gente voltasse, a rua jamais seria nossa novamente

Depois todo mundo que não estava nessa comunhão de você com você mesma. Imagina rodar duas horas, num percurso monótono e a todo momento ser ultrapassada por pessoas brancas mais rápidas e que montam equipamentos infinitamente melhores, gente que também está treinando para prova. Confesso que era desesperador no começo e frequentemente tive de lidar com descargas de adrenalina que perdia até o fio da respiração. Queria apenas voltar para casa. Se a gente voltasse, a rua jamais seria nossa novamente.

O que quero dizer com isso é passar dias, semanas e meses num sofá, por causa da bipolaridade.

Naquele cenário eu comigo mesma era a única pessoa com quem podia contar, não poderíamos desistir. Depois de muitos treinos percebi que não havia escapatória, que diabos, havia mais alguém comigo! Estávamos ali eu e eu mesma e era preciso resolver a questão. Precisaríamos decidir sobre o que conversar. A primeira pergunta que surgiu entre nós foi se todo o esforço para participar da #Prova9deJulho valeria a pena.

Vai ter preta na #Prova9deJulho

A única solução foi ressignificar o motivo pelo qual escolhemos passar duas horas pedalando. Caladas ou não, fomos eu e comigo mesma que decidimos tudo isso.  Mesmo histórico de treino, equipamento e infraestrutura da grande maioria, também vamos correr a #Prova9deJulho. E não basta um pensamento positivo para a mágica acontecer. É preciso um desejo, uma vontade, algo maior que a gente para fazer acontecer. E isso existe, porque sem ele nem teríamos treinado.

Com gripe, com joelho doendo, com a cabeça doendo depois de uma queda feia. O bom é que a convivência pode render uma bela amizade. Estar comigo mesma, fez com que nós duas entendêssemos que nós somos a própria motivação. E vamos dar de um tudo, mesmo indo pra prova sem ter qualificado o tempo necessário para terminar a prova. Isso funciona mais ou menos assim, vamos voltar àquela parte que pulamos!

Por nós!

Nós vamos correr por nós em primeiro lugar. Mas existem duas situações a serem evitadas, mesmo que a gente não tenha nenhum controle sobre isso. Primeiro, não deixar que a líder da prova dê uma volta em cima da gente. Dois, sempre ficar à frente dos carros que são uma espécie de nota de corte, quem correr atrás deles está desclassificado! Tenho prometido e reitero. Se o caminhão passar por mim, m’agarro nele e não solto até a linha de chegada.

Bem, se acontecer já valeu todo momento de treino e de autocuidado. Juntas, conseguimos entender que queremos correr #Prova9deJulho também pela vontade quase insegurável de viver aventuras. Ela estava lá quando ganhamos uma bike linda. Ela que rodou em círculos comigo no quintal para depois tirar racha na rua. Ela saia comigo pela quebrada, para explorar aonde a caminhada não alcançava. Ela, minha melhor, mais amada e fiel amiga. Aquela que pacientemente esperou por todos esses anos.

Serviço de preta pra #Prova9deJulho

Anota na agenda que além da prova em si que começa às 6h45, no Jockey, obrigada deus! Mas no dia 08, entre as 10 e 17h você pode ir na Cásper para conferir a Expo 9 de Julho que é aberta ao público em geral.

Treino da semana

Bike | 60K | 2h19 | TT / Natação | 2K | 1h07 | Educativos e TT