Sempre fui uma grande defensora da caminhada como o menor caminho para uma vida com mais movimento e alegria. Não estou falando aqui das caminhadas funcionais, como ir até o ponto de ônibus e pegar criança na escola, mesmo que a gente também consiga transformar esses momentos em autocuidado.

Mas eu já fiz algo hoje!

Porém, acabei enfrentando muitas dificuldades ao longo do caminho. Então abandonei minha rotina de atividade física. Durante a primeira temporada no triatlo, fazia seis sessões de treinos semanais. Agora sequer tenho vontade de sair de casa para jogar peteca o brincar de corrida com a minha filha como fazia antes.

Então decidi ouvir meus próprios conselhos e aceitar o convite para uma caminhada prazerosa ao lado do meu companheiro. Foi com esse simples gesto que abrimos a temporada dos #365DiasDeAutocuidado juntos.

Os planos dele são simples – ter uma rotina de atividade física. Quem sabe ele se anima e volta para as artes marciais! Os meus que já foram muito mais ambiciosos ainda não estão definidos. Tenho algumas provas na cabeça e me animando para fazer acontecer.

Por enquanto espero que possa continuar com um passo de cada vez, nunca perdendo a capacidade de colher frutinhas ao longo do caminho (dessa vez foram acerolinhas) e poder olhar para o horizonte. Desfrutar de boa companhia e sorrir.

Essa semana conversamos como é importante a gente fazer o que gosta e como a colheita nem sempre é performance. Dessa vez e com muita alegria nossa recompensa não pode ser medida em minutos, quilometragem ou pace.

Foi só love!

Treino: caminhada, 4K.

Imagem de destaque: Unsplash