Aviso de gatilho – Esse é um post para mamães com transtorno alimentar com crianças saudáveis. São mencionados sintomas como bulimia e o sentimento de partilhar a mesa com es filhes. Aconselho cuidado e cautela.

.

.

.

Desde que saí de casa, minha vida mudou completamente. Não conviver com os meus, na minha quebrada e comendo a nossa comida, tudo isso teve um efeito monstruoso sobre minha alimentação. Porém, o maior fator de impacto, tenho certeza, foi o estresse do pré-vestibular que desencadeou uma crise da bipolaridade.

Muitas pessoas falam sobre o que consideram o principal sintoma da doença, que são os altos e baixos. Mas existem muitas outras funções abaladas pelo transtorno. Uma delas é que você se torna suscetível aos vícios como bebida, fumo e também comida. No meu caso, o que chamo de personalidade adicta se manifestou inclusive no trabalho, no sexo e no afeto.

Consegui deixar de fumar, consegui deixar de beber e até me curei (será, rsrsrs) de uma breve vigorexia. Mas o transtorno alimentar segue como uma nuvem sobre minha cabeça, se manifestando de diversas formas, ainda que discretamente em alguns casos. Mas o sintoma mais temido certamente é a compulsão alimentar porque significa descontrole, tudo aquilo que uma paciente com a alimentação desregulada quer.

Se você tem bulimia (nervosa), precisa escolher como vai lidar com esses episódio. As opções são aceitar que aconteceu e deixar a natureza seguir seu curso ou… Provocar vômito, o que pode ser muito danoso para as vias aéreas, para seu sistema imunológico, para sua saúde mental. É um pavor pensar nisso tudo.

MINHAS FILHAS VÃO DESENVOLVER TRANSTORNO ALIMENTAR?

Essa é uma das perguntas que todas nós precisamos encarar mais dia, menos dia. É comum que as pessoas ACUSEM as mães que tem transtorno alimentar de implicar e controlar os hábitos alimentares de suas filhas, para que sejam magras como elas são ou querem ser. Isso não é de fato impossível, mas pouco provável quando essa mãe é feminista. E saibam que é muito mais complicado de lidar com crianças que comem pouco do que com crianças que comem livremente (como deve ser).

É muito complicado lidar com a minha filha por exemplo, uma menina muito magra como o pai. O pior é ouví-la dizer que já está satisfeita. Mas como assim? Nem comeu direito! Passei muito tempo dizendo e sentindo isso, hoje percebo que beira a tortura forçar a menina a comer uma quantidade acima do seu desejo e fome. E impor que ela coma mais para que saibam que não faço restrições alimentares para além do vegetarianismo não vai me salvar e pode ser doloroso para ela.

SATISFAÇÃO & EMOÇÃO

O engraçado é que algumas crianças tem por hábito respeitar o sinal de satisfação que o cérebro envia. Isso me parece muito mágico, impressionante. E aparentemente acontece com toda calma do mundo. Variável que os transtornos alimentares retiram dessa equação. Me impressiona a serenidade com que minha filha diz que já está bom, afasta o prato e começa a conversar sobre qualquer outra coisa. É de me deixar doida!

Como aprende? Como faz? Uma vida sem desespero ou apenas utilitarista diante da comida é tudo que muitas de nós desejamos, mas para algumas pessoas parece tão simples. Mas o segredo parece ser não fazer das refeições algo muito sério, definitivo, que vai permear toda a sua vida daquele momento em diante. Se não der certo, apenas siga para a próxima. Porque haverá muitas.

SEM CULPA: MAMÃE, ESTOU SATISFEITA

O mais interessante é que minha mãe se expressa através da comida. Ela vai dizer que te ama com uma torta, uma docinho novo, uma receita criativa. E nada disso tem efeito algum sobre a neta que não come para satisfazer as necessidades emocionais da avó, dos país, dos outros. E nem dela mesma. Isso é muito louco porque parece impossível para quem tem transtorno alimentar. Como assim não comer quando está feliz? Ou, como assim comer quando está triste?

E o mais curioso, bonito e admirável… Algumas crianças parecem comer aquilo que lhes dá prazer, sem culpa! Não tem docinho proibido, carboidrato simples e complexo, não tem gorduras do bem e muito menos do mal. Não existe o dia seguinte para compensar os erros do final de semana. Isso é maravilhoso. Se a gente, além de admirar com todo espanto do mundo, aprendesse qual é o caminho das pedras não é?

Imagem – Pinterest