Planilha é o que o nome diz, uma lista organizada através de uma tabela. Para quem faz atividade física, é uma ferramenta que organiza uma série de tarefas a ser concluído para que alcancemos algum resultado. Elas podem ser planilhas de corrida, natação, musculação, caminhada, ciclismo. Nos ajudam sobretudo quando estamos sem grana para ter acesso a um profissional de atividade física ou não temos como estar com ele nos treinos.

A planilha é seu Personal Trainer quando você não pode contratar um ou não tem os meios para estar perto dela. Se todas pudessem contratar uma preta para auxilixar e orientar em nossos treinos, que maravilha seria viver. Mas nem sempre dá, então a gente usa a planilha. Só que isso exige ainda mais cuidado, porque não se trata de apenas fazer o que está escrito ali e pronto.

UMA BOA PLANILHA É ASSIM

Uma boa planilha tem algumas características. Além de descrever o que você fará a cada dia da semana, ela precisa descrever muito bem como. Por exemplo: correr, 5 séries de um quilômetro, com frequência cardíaca de 60% ou intensidade moderada, com intervalos de 3 minutos para descansar. Esse é o nível de detalhamento que você deve pedir para o profissional que te auxilia à distância por exemplo.

Caso isso não seja possível, ou a pessoa não esteja disponível, pergunte diretamente ou informe sobre sua frequência cardíaca (com um relógio mesmo e suas mãos, apenas) para aferir se o esforço está demais ou de menos. Anote, para medir seus avanços e conquistas. Você verá como é bacana perceber que o fôlego melhorou!

COMO USAR A PLANILHA SEM SE MACHUCAR?

A grande treta é usar a planilha sem se machucar. Normalmente quem fornece a mesma diz para que público ela foi feita. Algumas são para emagrecimento, outras para quem já corre e quer aumentar o volume, outras para caminhar com segurança. O que tenho visto é que isso não é suficiente. Ainda é mais barato contratar um profissional de educação física que seja responsável para não machucar seus joelhos e coração por exemplo. Mas se não for possível, alguns cuidados são necessários.

01. Nem toda planilha para iniciantes é feita para… Iniciantes.

Já vi planilha de caminhada que começa com 50 minutos de atividade na primeira semana, toda complexa com diferentes velocidades e tipos de inclinação. Isso não é coisa de iniciantes, a gente sabe. Se não for simples e fácil de fazer, não é coisa de iniciantes, repito. Tem mais a ver com essa “cultura de desempenho à todo custo” que nos coloca em competição até com a gente mesma. Se parece complicada, essa planilha não é para você.

Isso pode colocar em risco seu futuro como atleta, mesmo que você esteja em busca apenas de felicidade. Posso dizer isso de cadeirinha porque foi assim que consegui dois joelhos limitados. Naquela época eu era jovem e achava que não faria mal correr mais que podia, afinal isso demonstrava o quanto eu queria “mudar de vida” e era “esforçada”.  Só me machuquei, não valeu a pena.

02. Escolha um fornecedor que faz planilhas para seu corpo e objetivos.

Mesmo as planilhas que a gente encontra na internet tem um autor, foram feitas por alguém. O ideal é que você use o material que seja de um fornecedor de confiança, preocupado com você, com quem você partilha valores inclusive. Se você está preocupada com saúde, para quê usar uma planilha que dialoga com impor ao corpo uma rotina de sofrimento, dor e até mesmo tortura? Não faz sentido!

Então defina suas metas antes e não deixe que a planilha defina por você.

Se você não tem em mente nenhum tipo de competição, em termos profissionais ou amadores (como é o meu caso), para que usar uma planilha que foi feita para outra coisa? Ou seja, antes de baixar uma planilha na internet, o mais importante é olhar para seu corpo e entender quais são seus objetivos e o que seria uma rotina de trabalho e treino possível e prazerosa para você.

Se você escolher uma planilha de algum veículo de comunicação, procure sempre antes de usar falar com alguém responsável por ela. Mesmo que seja através de um email. Isso cria um vínculo de responsabilidade, tanto para eles quanto para você. Fique atento porque o uso desses materiais geralmente implicam na aceitação de termos de uso que protegem as partes interessadas.

03.  Planilhas são ferramentas de saúde, certo?

As planilhas tem por objetivo calibrar nossas atividades físicas. No meu caso, o meu termômetro oscila entre a necessidade de serem estimulantes e desafiadoras e as limitações muito reais da bipolaridade, do meus joelhos (duas artroses) e do meu sistema respiratório (uma asma). Se eu exigir menos de mim, ficarei entediada. Se exigir demais, fico doente. Ou seja, daria errado e confesso que o risco de isso acontecer sempre é alto. Então, muito autoconhecimento e atenção.

Outro problema é essa cultura do “desempenho acima de tudo”. Parece que todos devemos nos colocar à prova a todo momento. Isso não precisa ser assim. Não deve ser assim. Não estou dizendo o que você deve fazer, mas questionando o que é uma boa performance para você. Para mim seria chegar aos 70 anos na ativa, sem lesões, mesmo sendo a última da linha de chegada. É controlar os transtornos afetivos e alimentares.

Então fique atenta se a planilha te machuca ou te faz bem!

Imagem – Olympe Bille, foto de Marcus Koppen.